CLIENTES, COLABORADORES E FORNECEDORES

Ao permanecer no nosso estabelecimento comprometem-se a cumprir rigorosamente todas as medidas de Higiene propostas pela autoridade de saúde e descritas no PROTOCOLO INTERNO. Caso não concorde, nao deve permanecer.

​​

BOAS PRATICAS CONTIGENCIA COVID 19
 

INFORMAÇÃO A CLIENTES, COLABORADORES e FORNECEDORES NA PREVENÇÃO DA  PROPAGAÇAO COVID19

Informamos que pela responsabilidade individual de cada um, comprometemo-nos  no cumprimento rigoroso de todas as diretrizes das autoridades de saude do Governo Português por forma a minimizar a propagação do COVID 19.

Devem consultar os ANEXOS para mais informação nos procedimentos implementados e que cada um deve seguir RESUMIDO NO ANEXO6- PROTOCOLO INTERNO.

  1. Colaboradores, Clientes e Fornecedores, devem seguir todas as recomendações da DGS e as regras internas descritas e disponiveis no estabelecimento sob Manual de Boas Pratoicas.

  2. Os Clientes devem respeitar o distanciamento social- mínimo 2metro;

  3. Devem cumprimentar-se apenas á distancia

  4. Devem desinfetar as maos quando entram no estabelecimento

  5. Devem limpar os pés no tapete com desinfetante que está á entrada

  6. As idas ao WC devem lavar e desinfetar as mãos e utilizar papel descartavel no local

  7. É proibido a entrada de pessoas nao autorizadas nas zonas de produção,

  8. Todos os colaboradores sao obrigados a cumprir o plano de contigencia COVID 19 defenido no protocolo interno e devem permanecer devidamente fardados e cumprir os procedimentos de limpeza e higienizaçao previstos nos planos de limpeza.

  9. Sugerimos que cada um permanecça apenas o tempo indispensavel nao devendo permanecer para alem do recomendado.

  10. Respeitar as regras de respiração, proteger com o cotovelo  na tosse e espirros

  11. Medir a sua propria temperatura á chegada

  12.  Evitar a concentração dos colaboradores ou clientes na entrada e na saída, e sempre que possível, nas zonas de trabalho;

  13.  Evitar a excessiva circulação dos fornecedores no interior do estabelecimento, devendo estes deixar os produtos nas bancadas estabelecidas para o efeito.

  14. Informar ainda os clientes:

    1. clientes devem evitar tocar em superfícies e objetos desnecessários;

    2.  não podem modificar a orientação das mesas e das cadeiras;

    3.  Informar os clientes que devem manter uma distância de, pelo menos, 2 metros nas filas de espera no espaço exterior ao estabelecimento e nas filas de espera que se geram para pedidos/pagamentos ao balcão.

    4. Devem preferencialemnte usar pagamento multibanco com contact less
       

 

RECOMENDAÇOES DA DIRECÇAÕ GERAL DE SAUDE

  1. O Conselho Científico da Autoridade de Segurança Alimentar e Económica, recomenda que antes da preparação, confeção e consumo de alimentos, se devem reforçar as medidas de higiene que já antes da pandemia eram recomendadas:

  2. - Lavar longamente as mãos secando-as em seguida, tendo cuidado de não voltar a por a mão lavada na torneira, fechando-a com uma toalha de papel;

  3. - Desinfetar as bancadas de trabalho e as mesas com os produtos de limpeza definidos no plano de limpeza;

  4. - Não misturar comida cozinhada e crua durante a preparação;

  5. - Nao partilhar comida ou objetos durante a refeição;

  6. - Lavar longamente os alimentos crus e desinfetar aqueles que nao estao sujeitos a confecção.

  7. Não havendo provas científicas de que o novo coronavírus seja transmissível através da ingestão de comida, devem, contudo, ser mantidas e reforçadas as medidas de prevenção de higiene pessoal e da cozinha seja em casa ou em cozinhas profissionais.

  8. A ASAE acompanha esta situação de forma contínua e sempre que se justifique divulgará novas informações.

  9. A Autoridade Europeia para a Segurança Alimentar e a Organização Mundial da Saúde não encontraram, até ao momento, prova de qualquer tipo de contaminação através do consumo de alimentos cozinhados ou crus. 

  10. O Centro Europeu para a Prevenção e Controlo de Doenças considera que, apesar de se suspeitar que o novo coronavírus é de origem animal, atualmente a sua transmissão ocorre pessoa e pessoa por contacto próximo com pessoas infetadas pelo vírus, ou superfícies ou objetos contaminados.

  11. Porém, deve ser aplicado o princípio da precaução, reforçando as boas práticas de higiene e segurança alimentar durante a manipulação, preparação e confeção dos alimentos.

PROTOCOLO

  1. PROCEDIMENTOS DE PREVENÇÃO

1.1     NAS INSTALAÇÕES
1.1.1    Sinalização e Informação
  • Toda a informação está disponivel no nosso site diretamente ou atravez do QR code disponivel nos estabelecimentos. Pretende-se garantir que os clientes tenham conhecimento e acesso ao presente Protocolo Interno relativo ao surto de coronavírus COVID-19.  Toda a informação está tambem disponivel no site do restaurante: https://www.tabernadabaixa.pt/contigenciacovid19

 

  • Disponibilizar a informação de como cumprir as precauções básicas de prevenção e controlo de infeção relativamente ao surto de coronavírus COVID-19.

    1. Plano de higienização

  • Lavagem e desinfeção, de acordo com o presente protocolo interno, e identificada no local, das superfícies onde colaboradores e clientes circulam, garantindo o controlo e a prevenção de infeções e resistências aos antimicrobianos- Chao limpo e desinfetado com H103.

  • Limpeza, várias vezes ao dia, comdesinfetante H262C, conforme plano de limpeza defenido e incluido neste protocolo, das superfícies e objetos de utilização comum (incluindo balcões, interruptores de luz e de elevadores, maçanetas, puxadores de armários).

  • È efectuado apenas limpeza húmida, em detrimento da limpeza a seco e do uso de aspirador de pó apenas em situaçoes indespensaveis.

  • Renovação de ar das salas e espaços fechados é feita regularmente- janelas e portas sempre que possivel abertas.

  • Nas zonas de restauração e bebidas, o reforço da higienização dos utensílios, equipamentos e superfícies e evitada ao máximo a manipulação direta dos alimentos por colaboradores. É exxpressamente proibido o acesso de pessoas estranhas ao serviço.

  • Nas áreas de restauração/cafetaria, é assegurada a limpeza eficaz quando sai um cliente e entra outro para a mesma mesa.

  • O balde e esfregona para o chão são habitualmente reutilizáveis, pelo que é garantido uma limpeza e desinfeção destes equipamentos no final de cada utilização. O balde e esfregona são distintos por áreas: o balde e esfregona usados nas casas de banho sao vermelhos, não são usados nas áreas de alimentação, ou em outros espaços públicos.

  • Para o chão, a lavagem é realizada com água quente e detergente 2 em 1 com cloro. Nas casas de banho é ainda seguido da desinfeção com solução de lixívia diluída em água. A frequência de limpeza no restaurante é de 3 vezes ao dia, e 6 vezes nomeadamente puxadores, torneiras e zonas de contacto frequente.

  • Nas instalações sanitárias publicas nos restaurantes, a lavagem é realizada 3 vezes ao dia, com produto H103, que contemna sua composição detergente e desinfetante porque é de mais fácil aplicação e desinfeção.

  • Nos espaços onde podem estar crianças a brincar, a limpeza é reforçada várias vezes ao dia.

 

(registo disponivel no local e arquivado na pasta de HACCP)

Registo de limpezas em locais publicos:

Área

Prioridade da limpeza

Produto

Método de utilização

Frequência

Responsável

Obs.

​​

  1. Adequação do espaço selecionado para isolamento

  • Local para isolar pessoas que possam ser detetadas como casos suspeitos ou casos confirmados de COVID-19, que deve ter preferencialmente ventilação natural, ou sistema de ventilação mecânica, e possuir revestimentos lisos e laváveis, casa de banho, stock de materiais de limpeza, máscaras cirúrgicas e luvas descartáveis, termómetro, contentor de resíduos autónomo, sacos de resíduos, sacos de recolha de roupa usada, Kit com água e alguns alimentos não perecíveis. Local contiguo na Rua dos Fanqueiros 165-VE. 1100-228 Lisboa

    1. Adequação das unidades de alojamento

  • A definição de cuidados específicos para troca da roupa de cama e limpeza nos quartos, privilegiando dois tempos de intervenção espaçados e com proteção adequada conforme Protocolo interno- 3horas intervalo.

  • A remoção da roupa de cama e atoalhados feita sem a agitar ou sacudir, enrolando-a no sentido de fora para dentro, sem encostar ao corpo e transportando-a diretamente para a máquina de lavar.

  • A lavagem em separado à máquina e a temperaturas elevadas da roupa de cama/atoalhados (cerca de 60ºC 30 minutos).

  • A lavagem e desinfeção das almofadas sempre que muda-mos de cliente. 

  • Protege-mos os comandos de TV e ar condicionado com pelicula para mais facil desinfeção.

1.1.5    Equipamentos de higienização
  • Dispensadores de solução antissética de base alcoólica ou solução à base de álcool está junto aos pontos de entrada/saída de recepção, à entrada do restaurante, e em cada apartamento.

  • Sabão líquido para lavagem de mãos e toalhetes de papel, em todas as instalações sanitárias dos restaurantes.

  • Existem mascaras individuais em cada alojamento e nos restaurantes para todos os clientes que delas necessitarem para acederem aos espaços.

 

  1. PARA OS COLABORADORES

1.2.1    Formação
  • Todos os Colaboradores receberam informação e/ou formação específica sobre:

    • Protocolo interno relativo ao surto de coronavírus COVID-19.

    • Como cumprir as precauções básicas de prevenção e controlo de infeção relativamente ao surto de coronavírus COVID-19, incluindo os procedimentos:

  • higienização das mãos: lavar as mãos frequentemente com água e sabão, durante pelo menos 20 segundos ou usar desinfetante para as mãos que tenha pelo menos 70º de álcool, cobrindo todas as superfícies das mãos e esfregando-as até ficarem secas.

  • etiqueta respiratória: tossir ou espirrar para o antebraço fletido ou usar lenço de papel, que depois deve ser imediatamente deitado ao lixo; higienizar as mãos sempre após tossir ou espirrar e depois de se assoar; evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos.

  • conduta social: alterar a frequência e a forma de contacto entre os trabalhadores e entre estes e os clientes, evitando (quando possível) o contacto próximo, apertos de mão, beijos, postos de trabalho partilhados, reuniões presenciais e partilha de comida, utensílios, copos e toalhas.

  • Como cumprir a auto monitorização diária para avaliação da febre, verificação de tosse ou dificuldade em respirar- Existe termómetro á entrada dos restaurantes.

  • Como cumprir as orientações da Direção-Geral da Saúde para limpeza de superfícies e tratamento de roupa nos estabelecimentos. Existem planos de limpeza e foi dado formaçao a todos os colaboradores.

Data da ação

Descrição da ação

N.º Formandos

 
2.2   Equipamento – Proteção individual
  • Em número suficiente para todos os colaboradores (consoante a sua função: máscara, luvas, viseira, bata ou avental, touca, cobre-sapatos).

  • A farda dos colaboradores é lavada em separado à máquina e a temperaturas elevadas (cerca de 60ºC).

1.2.3   Designação dos responsáveis
  • Fernando dos Santos Alberto: 919847419- gerente e responsavel pelo cumprimento do plano de contigencias.

  • Fernando Alberto, Amilcar Carvalho, Sharmila Sharma ou Bipan Bishop, por esta ordem de presença, são as pessoas responsaveis pelo cumprimento do protocolo.

  • Depois de isolar o suspeito covid 19, deve ser contactado de imediato as autoridades de saude para acompanhamento do caso atravez do numero 808 24 24 24 e prosseguimento do protocolo.

  • Viva Mais, medico de medecina no trabalho para apoio em caso suspeito: 210 317 327.

  • Ter ao serviço um colaborador responsável por acionar os procedimentos em caso de suspeita de infeção (acompanhar a pessoa com sintomas ao espaço de isolamento, prestar-lhe a assistência necessária e contactar o serviço nacional de saúde).

1.2.4    Conduta
  • È aconseelhado a todos, a auto monitorização diária para avaliação da febre, existência de tosse ou dificuldade em respirar.

  • Comportamentos a adotar pelo staff:

  • manter a distância entre colaboradores e clientes e evitar contactos físicos, incluindo os apertos de mão

  • não entrar e sair dos estabelecimentos com a farda do estabelecimento

  • manter o cabelo apanhado

  • desaconselha-se o uso excessivo de adornos pessoais (pulseiras, fios, anéis, etc.)

  • na entrada de pessoal, existe um tapete húmido para limpar a sola dos sapatos e desinfetar com agua e lixivia regularmente.

  • Espaço com distanciamento para as refeições do pessoal

  • Os profissionais de limpeza receberam formação adequada e sao conhecedores do protocolo e plano de limpeza e bem os produtos a utilizar (detergentes e desinfetantes), as precauções a ter com o seu manuseamento, diluição e aplicação em condições de segurança, como se proteger durante os procedimentos de limpeza dos espaços e como garantir uma boa ventilação dos mesmos durante a limpeza e desinfeção.

1.2.5 Stock de materiais de limpeza e higienização
  • Todo o material esta armazenado na Loja rua dos Fanqueiros 165 VE.

  • Stock de materiais de limpeza de uso único proporcional às dimensões do empreendimento, incluindo toalhetes de limpeza de uso único humedecidos em desinfetante, lixívia e álcool a 70º.

  • Dispensadores ou recargas de solução antissética de base alcoólica ou solução à base de álcool.

  • Contentor de resíduos com abertura não manual e saco plástico.

  • Equipamento ou recargas para lavagem de mãos com sabão líquido e toalhetes de papel.

1.2.6 Escalas / Turnos

  • Definição de escalas de serviço e/ou turnos com redução do número simultâneo de colaboradores

  • Estao defenidas as regras/faseamento dos atos de limpeza das unidades de alojamento:

    • 3 horas depois do checkout: retirada de roupa para lavagem e ventilação do espaço;

    • 3 Horas depois é efetuado a limpeza e desinfecçao

    • Intervalo minimo de 8 horas entre cada saida e entrada.

 

  1. PARA OS CLIENTES

1.3.1   Equipamento – Proteção individual
  • Equipamento de proteção individual (kits individuais de proteção com máscara e gel desinfetante. podendo acrescer luvas, viseira ou outros a pedido do cliente) disponível para clientes (para definição do stock deverá ter-se em atenção a capacidade máxima do estabelecimento).

1.3.2    Conduta
  • O acesso aos apartamentos faz-se sempre pela direita das escadas ou elevadores, tocando o minimo indispensavel em emcorrimoes, interruptores e teclados.

 

  1. PROCEDIMENTOS EM CASO DE SUSPEITA DE INFEÇÃO

    1. PLANO DE ATUAÇÃO

  • O colaborador responsável deve acompanhar o suspeito de infeção ao espaço de isolamento, prestar-lhe a assistência necessária e contactar o Serviço Nacional de Saúde.

 

  1. DESCONTAMINAÇÃO DO LOCAL DE ISOLAMENTO

  • A descontaminação da área de isolamento sempre que haja casos positivos de infeção e reforço da limpeza e desinfeção sempre que haja doentes suspeitos de infeção, principalmente nas superfícies frequentemente manuseadas e mais utilizadas pelo mesmo, conforme indicações da Direção-Geral da Saúde.

  • O armazenamento dos resíduos produzidos pelos doentes suspeitos de infeção em saco de plástico que, após fechado (ex. com abraçadeira) deve ser segregado e enviado para operador licenciado para a gestão de resíduos hospitalares com risco biológico.

 

  1. REGISTO DE ATOS/INCIDENTES

 

Sugestão de registo de ocorrências:

Data da ocorrência

Descrição de Ocorrência

Medidas de atuação

NOTA: todos os registos de limpeza e higienizaçao estão disponiveis para consulta.

Assine e receba informações sobre os nossos próximos eventos

© 2014 por Taberna da Baixa